domingo, 13 de novembro de 2011

Amigos e leitores

BAYMA disse...
Meu amigo LP (Luis Prego) não confundir com LP (Língua de Pau) da Rua do Norte. Mais vez meus parabéns por esse espaço que nos permite lembrar do nosso querido Codozinho e também dos amigos que por lá passaram. Chiquinho Baía (muito sacana) mandei um recado e ele nunca respondeu. Heleno Fournier, também... Prêto Cunha malandro como sempre...dando nó em em pingo d'água. Ah! falando em Prêto, vou dar-lhe umas porradas . Quando chequei prá morrar no Codozinho, ele não me conhecia,pois viajava muito. Fomos bater uma pelada na rua, eu mais ou menos bom de bola, dei-lhe uma porção de dribles, um deles por entre as pernas. Ele para aplaudir a bela jogada, deu-me um tremendo soco na orelha, que até hoje dói. Depois pediu-me desculpas e fomos ao cinema e ele, ainda, pagou minha entrada. Hoje somos grandes amigos. Essa é uma das muitas histórias do nosso querido bairro: CODOZINHO!!! Essa tu não sabias.
Seria interessante, como alguém sugeriu, uma "reunião" com todos esses amigos.
Um grande abraço
.B A Y M A...P.Dutra -MA;
15 de novembro de 2011 05:06
____________________________________________________________________________
Preto Cunha disse...
Por que tanto amor?
Só quem nasceu, se criou e viveu uma vida no Codozinho, é que pode saber PORQUE TANTO AMOR.
Eu, Cabeça, Bacabal, João Kim, Marinalva de Bibi, Maria Bacabal, depois veio a era Chico Bahia, vc que veio morar no Codozinho e viveu tudo isso que vc narrou, Feliz foi todo aquele ou aquela que viveu essa época de Ouro do Codozinho.
Quando sair do Codozinho para seguir a carreira Militar na Marinha de Guerra deixei o bloco os INTOCÁVEIS do qual eu e Zeca Pilú fomos os fundadores, quando comecei a voltar para os carnavais encontrei a Turma do Saco me apaixonei e passei a fazer parte de tudo isso que vc conta nas suas Hestórias ou Histórias.
Meu amigo Prego sei que ainda tens muito que falar do Codozinho, vamos nos reunir mais vezes para reviver os bons momentos do Codozinho para mostrarmos POR QUE TANTO AMOR.
Um grande abraço do Preto Cunha

10 de outubro de 2011
________________________________________________________________________
João Rabelo Neto disse...
JOAO FILHO DE MESSIAS PERUZA.
Porque tanto amor. lembrar de meus avós, Serrote, Seu Antônio Barbeiro, Seu Antônio da Oficina, Dona Zezé, Seu Walter, Pai Honorato, Joana Palitó, meu grande maestro Zé Pito e que por ironia do destino não foi meu pai, Dona Erminia a família Bacabal, Seu Almir e família, Dona Mocinha, Dona Doli, minha madrinha Marinalva, e sua família, Maria Bacabal e seus demais irmãos, familia Fournier com Heleno e seus irmãos. São tantas as lembranças que tem este cantinho de recordação... SOU CODÓ DE CIMA E MUITO ME ORGULHO DE LÁ TER NASCIDO.

12 de outubro de 2011
____________________________________________________________________________
Baía disse...
Quem viveu no Codozinho como nós, que vivemos e vivenciamos todos os momentos fantásticos, é que podemos dizer: POR TANTO AMOR. E por falar em seresta meu caro, vc nem estava ainda conosco, nos visitávamos ruas tantas, nas ruas nuas, a cantar nossos amores que nos recebiam com flores e as vezes com farofa gostosa, pra abastecer nossas canções famintas de amar tanto. Eu, Costa, Willian Kleper, César, Benedito, Deco e outros. Me lembro de uma passagem super hilária. Tínhamos saído da radio educadora, onde fazíamos, ou melhor ajudávamos, com leitura de nossas poesias, e partimos em direção ao Hospital Geral (prox). Lá eu tinha uma namorada, e qdo. já estávamos prontinhos pra cantar, surgiu uma camionete rural, cheia de policiais. Aquele alvoroço. Os caras nos colocaram de rosto pra parede, mandou que abríssemos as pernas, e tome perguntas: cadê a maconha? Willlian, branco e vermelho de nascença, era o mais visado, depois de uma minuciosa, vistoria, o delegado nos pediu desculpas, nos solicitou o violão que por sua vez estava calado, senão entrava também no braço, e cantou GRANADA!!!!! É MOLE? O cara
tinha uma boa voz!!!!!! Nos arremates finais, eu, perdi a namorada, e ganhei um inimigo, o pai dela. Mas, entre mortos e vivos todos saíram ilesos. Vou mandar outra pra ti meu caro Preguinho.

24 de outubro de 2011 12:43
______________________________________________________________________
Baía disse...
Meu caro Luiz, (Prego) estou te mandando uma poesia dos tempos que me abrigava, no nosso Codozinho amado; Fiz pra uma jovem que também morava lá, exatamente, onde morou Gordo, te lembra? O nome dela era Joaquina, que Deus já chamou pra si.

PENA

De nos dois,
eu sinto que sou mais feliz,
e não minto, morro só, mais faço,
enquanto tu, morres mais do que
eu, de braço em braço.
Quis te odiar não pude,
quis te amar mais, evitei,
então bendisse aos céus por
me ter sido rude,
e pelos momentos que eu
mais te amei.
Sei que para o porvir,
a verdade me virá santa e crua,
como sei também que minh'alma
será sempre tua.
Francisco Baía (Chico Baía)

25 de outubro de 2011 06:02
___________________________________________________________________
Preto Cunha disse...

Grande Chiquinho Baia
Vc sempre teve e tem a alma de poeta./Um grande abraço de Preto Kunha.

28 de outubro de 2011 05:29
____________________________________________________________
Silva disse...
Fiko feliz pq estamos juntos mesmo que seja pela net. Precisamos nos reunir pra planejarmos alguma coisa com a cara nossa. Vamos entrar em contato com os outros e ver uma data boa pra essa reunião. Vamos molhar com um pingo d'água o incêndio da floresta, cada um fazendo sua parte, essa reunião vai acontecer. Abraços fraternais.

10 de novembro de 2011 06:26
_______________________________
Longevidade saudável e prazo de validade

Preto Cunha disse...
Há de se convir, que todas essas doenças descobertas agora e as que estão por a ser descobertas. Já existiam, só que há 50 anos atrás dizia-se. Fulano morreu!, Morreu de ?, morreu de mal.
Doenças que não se sabia os nomes, mas já existiam, hoje elas têm nomes.
Imagine a felicidade de um Vascaino amanhecer com um coração RUBRO NEGRO...
____________________________________________________________________
Uma noite de carinhos, afagos, amor e respeito

Baía disse...
Na verdade, eu ñ sabia de tudo isso, gostaria muito de estar pressente, até porque tenho muita admiração pelos Cavalcante, já sorrimos muito e curtimos muito. De qualquer forma a família unida, merece os nossos mais fraternos parabéns.

24 de outubro de 2011 12:29
__________________________________________________________________
Anônimo disse...
Preto Kunha
Parabéns aos Cavalcante, as palavras de Luis Prego já disseram tudo. Faço das palavras dele as minhas.
Parabéns
____________________________________________________________________
Ai de mim se não tivesse errado

Silva disse...
Em se tratando de erros, como ficariam os acertos? Se ganha também errando, não se pode evidentemente, é permanecer nos erros. Trabalhamos nossos erros para evitar que os nossos tesouros, filhos, errem tanto quanto.

9 de novembro de 2011 04:04
______________________________________________________________________
Obrigado por comentar.
Postar um comentário