segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Carta à Dra. Dilma Vana Rousseff Linhares


Tenho visto a reação da elite brasileira contra a sua candidatura. Toda vez que recorro à grande imprensa para me informar a respeito das eleições em andamento, deparo-me com um planfeto do candidato tucano. Lamento a planfetagem da revista Veja, da TV Globo e de outros meios de comunicação. Assim como lamento ver a Senadora Marina sentada em cima do muro, um lugar que historicamente foi ocupado pelo tucanato efeagaceano. Dói-me o peito ver a mulher do Chico Mendes fazendo campanha àqueles que sempre fortaleceram o patronato rural brasileiro, categoria a que pertence o assassino do marido dela.
Bem, presenciamos uma luta de David contra Golias, representados nesse embate, de um lado, pelo Governo Lula, que saneou o país, livrando-o do jugo do FMI, que levou 28 milhões de brasileiros e brasileiras em estado de miséria ao exercício de cidadania, fazendo do Estado brasileiro um Estado de oportunidades para todos os filhos do Brasil, do programa bolsa família, por meio de concursos públicos e com a abertura de vagas nas universidades brasileiras, entre outros gestos correlatos; do outro lado, temos a elite do príncipe da Sociologia brasileira, que bem podemos chamá-lo de o príncipe do mal, que defende um estado mínimo neo-liberal, com lugares apenas à própria elite – os iguais. Pai das privatizações, dragão cujo prato preferido são as instituições que orgulham e até simbolizam o povo brasileiro. Agora, o lobo veste-se com a pele de cordeiro com o fito de abocanhar a Petrobrás do Pré-Sal, o Banco do Brasil e na esteira dessas, outras instituições brasileiras financeiramente saneadas e demasiadamente lucrativas.
Sei o motivo de tanta raiva da elite em relação ao Governo Lula. Veja que neste governo em hora nenhuma faltou dinheiro para a elite brasileira, seja no campo ou na cidade. Observe que os funcionários públicos ainda acumulam defasagem salarial que cresce desde o governo de Collor de Melo ao governo de Fernando Henrique Cardoso e que oito anos de governo Lula não foram suficientes para eliminar tal estrago salarial.
No caso da instituição a que pertenço, nem se fala, constituímos a plebe da classe bancária deste país, à proporção que os funcionários do Banco da Amazônia S/A têm proventos equivalentes à metade daqueles pagos pelo Banco do Brasil S/A, e a menos da metade daqueles pagos pela Caixa Econômica Federal, para funcionários que ocupam funções semelhantes. Então, o Governo Lula não paga salários exorbitantes ao funcionalismo público, como falam os acólitos do Estado mínimo representados agora pelo seu preposto maior – José Serra, sempre afeito a privatização do Estado brasileiro.
Mas, por que a elite tucana se incomoda tanto com o governo Lula? Apesar da elite tucana não ter sofrido nenhuma perda, mas, pelo contrário, ter engordado mais financeiramente, vê-se incomodada com o fato de no processo inclusivo praticado no Governo Lula perceber que o seu espaço agora também está sendo ocupado por pessoas emergentes de classes que outrora não tinham voz, nem oportunidade de ascensão social. É indisfarçável a inveja de ver que só o Governo Lula pode dizer: - este é um Governo de oportunidades. Ficam azul-tucano de raiva em pensar que só o Presidente Lula pode dizer em alto e bom som, - pela primeira vez na História deste país temos pessoas oriundas das Senzalas ocupando pastas ministeriais. Pela primeira vez na História deste país temos brasileiros de todas as raças, de todos os credos, de todas as classes sociais, em todos os escalões deste governo e, do Estado brasileiro, consequentemente.
Agora o Brasil mudou, tem a cara do Brasil que constrói o Brasil, tem a cara do povo brasileiro, a distância entre a Senzala e a Casa Grande diminui dia após dia. E a elite tucana permanecerá azul-tucano de raiva porque quando o presidente Lula fala “Pela primeira vez na história deste país...”, eles, os filhos dessa elite exclusivista, castradora e, dissimuladamente seletiva, ler assim: - “Nós, a elite deste país, e em especial a elite tucana, não fizemos em 502 anos de mando, o que este filho da plebe, para não dizer..., fez em oito anos”.
Enfim, Dra. Dilma Vana Rousseff Linhares, a raiva deles, ou dela, a elite tucana, não está exclusivamente, naquilo que o Presidente Lula faz ou fala, mas, no fato de ele, está ocupando um lugar que a elite julgava pertencer somente aos seus filhos. A ira ficou mais forte e mais cega ainda, à medida que o Presidente Lula propiciou a escada para que outros filhos da plebe chegassem a patamares superiores da pirâmide social, antes exclusivos da elite.
Não tem jeito, a elite tucana foi pega no contrapé e agora não sabe como dissimular a raiva que sente da plebe e veio pra cima “com gosto de gás”, mostra a cara dela, com todas as rugas de preconceito, que os cremes e as bases da dissimulação já não escondem mais.Doutora Dilma, chame toda a militância, todos os aliados, todos os beneficiários e alinhados com este Governo e coloque o bloco nas ruas de todos os estados, de todos os municípios brasileiros, mobilizemos o povo brasileiro contra o Estado mínimo e as privatizações, para que não acordemos no dia primeiro de novembro na vala comum que elite tucana rancorosa nos prepara.
Postar um comentário