quarta-feira, 5 de março de 2014

Meus agradecimentos pela alegria do carnaval




Antes de qualquer outro, agradeço ao Altíssimo pela graça de me permitir viver esse momento – a comemoração dos 40 anos da Turma do Saco. Agradeço a minha família pela homenagem que me prestou, desfilando comigo, mobilizando amigos e entes queridos diversos. Neste sentido, dirijo os meus agradecimentos à Juliana, Paulo César, Luís Fernando, Joana, Sílvia, minha comadre Dora e toda a Comandita (associação dos amigos de Dora).
Agradecimento especial para o amigo Josemar que veio de Coroatá só para nos prestigiar e desfilar conosco.
Obrigado, meu compadre Laurindo, grande mobilizador da rapaziada do samba: amigos compositores, músicos e sambistas que temos o prazer da amizade. Os que vieram trouxeram seus familiares. Que legal!
Meu querido sobrinho e afilhado, excelente compositor, Luzian Filho, meu parceiro na construção do samba dos 40, a minha gratidão.
Aos três membros da Diretoria da Turma do Saco, que trabalharam pesado para que o bloco fosse para a passarela da forma que foi: lindo, organizado, animado, divertido. Zé Roberto, Márcio Cavalcante e Rosário Costa vocês honraram essa linda festa.
Aos amigos que participaram do desfile, foi um enorme prazer reencontrá-los. Não tenho palavras para descrever a emoção.
Especiais agradecimentos para Zeca Bacabal, que hoje é evangélico, não desfila mais no bloco, mas teve a consideração de ir à passarela rever os amigos. Bacabal, para mim, você foi dos presidentes da Turma do Saco o mais importante. Humilde, sincero, modesto, moderado, quase imperceptível, todavia, capaz de mobilizar um bairro inteiro pela confiança que todos tinham em você.
Especiais agradecimentos ao maestro Nonato, pois a sua participação, tocando violão de sete cordas, na gravação do samba aditou qualidade especial à obra.
Quero registrar aqui um acontecimento maravilhoso que ocorreu comigo na passarela. Quando estávamos na concentração, Bacabal apareceu, nos cumprimentamos, fomos fotografados juntos, conversamos um pouco. Logo que a passarela foi liberada para o desfile da Turma do Saco, Bacabal saiu da passarela e estava encostado no alambrado e eu fui me despedir dele, o abraçava quando o ele me apontou um garoto e perguntou: - “Você conhece o meu filho”? O garoto veio ao meu encontro e eu o abracei e ia me dirigindo para o desfile quando o garoto segurou na minha mão e perguntou: - Tio eu posso ir contigo? Eu o olhei e disse, um tanto indeciso – sim vamos. Naquela fração de segundos a minha cabeça deu mil voltas. O garoto estava sem fantasia vestido numa camisa do Flamengo. Pensei, meu Deus, como vou esconder este garoto sem fantasia. Dei dois passos me dirigindo para o meio do bloco e uma senhora me abordou e me entregou uma fantasia. Eu a vesti no garoto e continuei segurando a mão dele. O garoto começou a dançar, virou para mim e disse: - Tio esta é a minha primeira vez! Fiquei muito emocionado e lhe disse: faz 40 anos que fundamos este bloco. Como toda criança, o filho de Bacabal sentiu a vontade de protagonizar o desfile e me pediu que o deixasse ir para a frente e eu o deixei.
Pensei, como Deus é maravilhoso, iniciou no samba, no carnaval e na Turma do Saco, pelas minhas mãos, o filho daquele que para mim foi o nosso mais importante presidente – Zeca Bacabal.
Por tudo isso, independente da classificação que o bloco teve eu externo os meus agradecimentos a todos que de alguma forma contribuíram para que o Saco fizesse o desfile maravilhoso que fez. Muito obrigado!
Postar um comentário